Empresa inicia nova etapa de obras na UHE Paranapanema


VISTA aérea da obra da EGP: local conhecido como "Canal" ficará temporariamente esvaziado para acesso às estruturas metálidas da ponte.


As obras de ampliação da capacidade de vazão do vertedouro da Usina Hidrelétrica Paranapanema acabam de entrar em mais uma etapa. Para realizar o tratamento dos cavaletes que ficam embaixo da Ponte Engenheiro Nelson Godoy Pereira, o canal de adução, estrutura que passa por baixo do antigo mirante, foi temporariamente fechado. Com o esvaziamento desta via, a Enel Green Power (EGP) poderá acessar as estruturas metálicas da ponte, além de remover parte do muro lateral do canal. Essa remoção ajudará a encher de água a área do vertedouro controlado que está sendo construído ao lado do canal.


O canal de adução está temporariamente fechado.


Todas as ações estão sendo monitoradas pela equipe de Meio Ambiente da Enel garantindo a segurança ambiental das atividades. Antes do fechamento do canal, a equipe de monitoramento e resgate de ictiofauna da Limiar, composta por três biólogos e uma veterinária, realizou o resgate e a soltura dos peixes no rio. Após a conclusão desta etapa da obra, o nível canal de derivação será recomposto. Esta ação acontecerá antes do início da piracema, portanto sem afetar o movimento migratório dos cardumes que se deslocam até a cabeceira dos rios para reprodução.

Ativo da Enel desde 2016, a Usina Hidrelétrica Paranapanema está recebendo intervenções que têm como objetivo ampliar ainda mais a segurança da barragem. As obras, que estão sendo realizadas para atender a normas regulatórias, já atingiram 60% do seu cronograma total, entre ações de planejamento e execução. A previsão é de que todas as atividades estejam concluídas até o primeiro trimestre de 2022. A Enel ressalta que não serão instaladas novas turbinas para aumento da capacidade de geração de energia na usina.


Sobre a Enel — Dentro do Grupo Enel, a Enel Green Power é dedicada ao desenvolvimento e operação de energias renováveis em todo o mundo, com presença na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania. A companhia é líder global no setor de energia limpa, com capacidade gerenciada de cerca de 49 GW, distribuídas em um mix de geração que inclui eólica, solar, geotérmica e hidrelétrica, e está à frente na integração de tecnologias inovadoras em usinas renováveis.