Novembro Laranja

ARTIGO - DIANA ABEJANEDO SIMÕES A. BELUCI


Comemorado ao longo deste mês, o Novembro Laranja faz parte da Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido, criado com a iniciativa de informar as pessoas sobre os problemas auditivos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 28 milhões de brasileiros estão nessa condição, que pode acontecer em todas as faixas etárias. Dentre os processos mórbidos do idoso, podemos citar o zumbido, que apesar de não ser doença, e sim um sintoma, pode refletir o funcionamento do organismo do indivíduo como um todo e é bastante prevalente nesta faixa etária, onde afeta 15% da população em geral e 33% dos idosos. O zumbido é um som perceptível apenas à pessoa que sofre com este incômodo. O ruído pode ser intermitente ou contínuo e pode variar em intensidade e frequência. O pico da queixa ocorre nos indivíduos com mais de 65 anos de idade .

Os pacientes referem ouvir os zumbidos com percepções diferenciadas:

• Como um som similar ao de uma panela de pressão, ou de uma cigarra.

• Com som parecido ao de uma cachoeira,

• Como um apito bem agudo,

• Pode se parecer a estalos de madeira queimando, entre outros.

Não é fácil rastrear a origem do zumbido, pois o problema não se trata propriamente de uma doença, e sim, de um sintoma. Algumas das principais causas são complicações no sistema auditivo, doenças neurológicas, problemas odontológicos e até mesmo desvios na coluna. Pode piorar com alguns hábitos alimentares como: ingestão de bebidas alcoólicas, cigarros, cafeína, e o estresse e a fadiga, podem agravar o caso.

Algumas práticas simples são fundamentais para prevenir o surgimento do zumbido: não se expor a sons elevados, ter uma alimentação saudável, monitorar a ansiedade, controlar doenças sistêmicas (hipertensão, diabetes, colesterol) e realizar atividades físicas regularmente.

Algumas consequências do zumbidos são de apresentar dificuldade de dormir; falta de concentração e de rendimento na vida escolar ou profissional; restrição ou até isolamento da vida familiar, irritabilidade frequente; crises de ansiedade; depressão por não se sentirem compreendidos pelos familiares e pelos profissionais; e de serem rotulados como ranzinzas, chatos e antissociais. Como as causas são variadas, o tratamento pode se basear em acompanhamentos multidisciplinares, como ortodontia, psicologia, fisioterapia e fonoaudiologia.

Por isso é imprescindível investigar corretamente a origem de cada caso, para conseguir tratar a tempo. Afinal o zumbido não é uma doença, é sim um sintoma, um alerta de que algo não está bem e que precisa ser cuidado.