Salve o nosso Rio Paranapanema

ARTIGO - LUIZ FERNANDO TAVARES



Se fizéssemos uma pesquisa em nossa cidade todos diriam que precisa-se salvar o nosso querido Rio Paranapanema. Mas, o que podemos fazer individualmente para que isso aconteça?

Como todos sabemos, o Rio Paranapanema é o único rio não poluído do Estado de São Paulo, porem várias atividades humanas colocam em risco este paradigma. Uma destas vou destacar neste artigo — o descarte de óleo nas tubulações de esgoto.

O descarte em local indevido do óleo de cozinha pode gerar graves consequências para o meio ambiente. Apenas um litro de óleo pode contaminar até 25 mil litros de água potável. O descarte incorreto provoca impermeabilização do solo, prejuízo à oxigenação e iluminação da água do rio, causando danos à fauna aquática. Quando entra em processo de decomposição, o óleo libera o gás metano que causa mau cheiro e agrava o efeito estufa. Além de provocar o entupimento das tubulações nas redes de esgoto, aumentando em até 45% os custos de tratamento. Por isso, preparei um passo a passo para o descarte adequado do óleo.

Deixe esfriar o óleo por 30 minutos. Passe-o para um recipiente com tampa, como uma garrafa pet, por exemplo, utilizando um funil. Armazene o recipiente em local seco, sem contato com calor e vá adicionando óleo usado conforme o consumo. Quando o recipiente estiver cheio, você pode colocar junto com a sacola vermelha da reciclagem. Entrei em contato com o pessoal que faz a coleta seletiva e fiquei sabendo que os óleos depositados junto com a reciclagem são destinados a uma refinaria de biodiesel de Bauru-SP.

Atualmente, a principal matéria-prima na produção do biodiesel é o óleo de soja, aproximadamente 70%. O óleo de fritura reciclado corresponde a menos de 2%. “Ele ainda é uma fonte quase inexplorada. Ao contrário da realidade nacional, a região Sudeste é onde o óleo de fritura tem a maior taxa de recolhimento: 15,42%.

Esta informação é importante, pois muitos nem sequer imaginariam que poderiam colocar o óleo usado, de maneira correta, junto à coleta seletiva para uma destinação adequada.

Essa ação pode significar muito para o nosso rio. Imagine, por exemplo, essa informação de que apenas 1 litro de óleo contamina 25 mil litros de água. Se cada pirajuense descartar 1 litro por mês contaminaríamos 750 milhões de litros d´água.

Sim, precisamos repensar nossas atividades para não poluirmos esse recurso tão valioso e que dá muito orgulho para cada pirajuense.